Aconteceu Comigo com Dani Monteiro

Estreando a nova coluna do blog está a jornalista Dani Monteiro, 34 anos, repórter no programa Mais Você e do Multishow. Tricampeã brasileira de windsurfe, ela que já passou pelo Esporte Espetacular e peloVídeo Show, na TV Globo, e pelos canais Multishow e SporTV fala um pouco sobre sua experiência com a maternidade 
como mãe da linda Maria de apenas três aninhos.
unnamed
 “Aprendi desde cedo que através do esforço e do treino se conquista resultado. Isso se deve em parte às competições de windsurf que ocuparam minha vida durante um bom tempo. Aprendi a querer sempre o meu melhor desempenho, a exigir isso do meu corpo, de mim. E assim fui  até que a chegada da maternidade virou minha visão de mundo de cabeça pra baixo.
Assim que pensei em engravidar comecei a estudar a fundo o tema. Devorava livros e revistas como quem se prepara para uma prova final. Queria estar pronta. Queria engravidar de primeira. Queria engordar pouco. Queria amamentar muito, ter parto normal, quem sabe até natural, queria abolir a chupeta e a mamadeira, queria ter toda disposição do mundo, queria, queria, queria… Então treinei, me preparei.
Mas as coisas não saíram exatamente como planejei. A começar pela gravidez. Ao invés dos 9 quilinhos que os médicos recomendam, engordei singelos 22kg. E as histórias das grávidas que se mantém ativas até o dia do parto? Não deu certo também. Com uma ameaça de parto prematuro fiquei de repouso…
– E o parto? Como foi?
Foi pressão. Pressão alta. Muito alta, do tipo pré-eclâmpsia com direito a correria e dor numa sexta-feira de trânsito parado no Rio de Janeiro, na hora do rush. E enquanto meu marido acelerava buzinando e gritando entre os carros na minha cabeça passava o filminho da gravidez perfeita, do parto normal e de todas as expectativas  que eu havia criado. Eu tinha me preparado tão bem… Fiz o que todos os manuais das boas grávidas recomendam! Comia certinho, sem sal, fazia hidroginástica, caminhada, ioga, alongamento. Onde estava o meu corpo que não mais me obedecia??
Mal sabia eu que essa seria apenas a primeira das muitas lições que eu aprenderia ao me tornar mãe.
Minha filha nasceu linda, saudável, foi emocionante.
Mas agora vinha a segunda etapa. Precisava cuidar e amamentar aquele “serzinho” lindo. O peito ficou enorme. Mas o leite não era o suficiente. Eu insistia, tentava de tudo.  E ficava cada vez mais tensa. E o leite mais escasso.
Hoje olho para minha filha e lembro desses momentos de frustração e preocupação e tenho vontade de rir. Devia ser muito engraçado pra quem via de fora. A pediatra da minha filha que o diga, ela dava gargalhadas quando contávamos nosso dia a dia.
Fui aprendendo aos poucos que com a maternidade não tem essa obrigação em seguir regras. Muito pelo contrário. Claro que é bom amamentar, mas e daí se tomar mamadeira? Qual o grande problema se chupar chupeta? Se o parto normal não for o mais indicado, tudo bem!
Quando a gente se torna mãe, aprende que o sucesso da nossa empreitada é medido de uma forma tão sutil que não cabe em nenhum livro ou revista. Meu conselho: esvazie a bolsa-maternidade de cobranças e encha-a de amor, paciência e muitas roupinhas fofas.”
unnamed (1)

Siga nosso Instagram e aproveite cada detalhe!

Join to Instagram