Bem vindos a um novo clube: O clube das birras!

images (3)A gente não vê a hora das cólicas cessarem, do bebê dormir a noite toda, de poder andar e, claro , aprender a usar o penico sozinho. O que muita gente não sabe – pelo menos eu não sabia -, é que junto viria muito mais trabalho.

Bem vindo à fase mais cansativa na vida de um bebê: De 1 a 3 anos. Alguns especialistas comparam essa fase a uma prévia da adolescência (!). Junto com ela vêm as temíveis birras. Não sei vocês, mas antes de ser mãe quando via uma criança chorando compulsivamente e se comportando mal eu secretamente culpava a mãe. Como eu estava enganada! Agora sei que é um clube que todos os pais vão pertencer numa hora ou outra.

Agora quando eu vejo uma cena do gênero eu silenciosamente me compadeço da mãe. Isso porque de uns dias pra cá a Bianca entrou nesse time. Agora ela quando está muito contrariada ou cansada ela faz suas cenas de birra. A princípio eu fiquei um pouco impressionada como aquele anjo de menina era capaz de se transformar daquele jeito.

mulher-nervosa_bigthumb546Poucas coisas como as birras conseguem pôr à prova a paciência e a serenidade dos pais. Por mais aborrecidas que sejam, elas são normais de acontecerem. Tal como surge a fase das cólicas, dos dentes, também surge a fase dos caprichos. Há crianças mais sossegadas outras mais temperamentais, umas que fazem muita ou pouca birra. Mas não existe uma que não faça nenhuma.

Mas porque isso acontece?

Nessa idade as crianças estão construindo sentimentos de identidade, associadas a uma vontade própria que começa a se manifestar. E isso acontece numa fase em que são ainda pequenas e dependentes, necessariamente vivenciarão várias frustrações. Querem mexer em tudo, fazer tudo. Além disso, muitas vezes querem pedir algo e não podem , porque a linguagem ainda é escassa e faltam-lhe as palavras ( embora muitas vezes conseguimos decifrar o que querem dizer).

Como se isso fosse pouco, os próprios pais também não têm outro remédio senão impedir que façam ou obtenham uma quantidade de coisas. Têm desejos que não podem ser consentidos ou que não são convenientes.

Menino-chorandoDevido a sua pouca idade, ainda não compreendem muitas vezes as explicações. E mesmo que as entendessem não lhes servem de nada. Por isso que as birras acontecem e são normais. São, entre outras coisas, um desejo de maior independência; as crianças querem fazer as coisas à sua maneira e não como lhes pedem. Mas o fato de serem normais e comum não significa que sejam fáceis de suportar, sobretudo em público.

Todos os livros que li, todas as pesquisas que fiz e conversas com mães e pediatras descobri que o fundamental mesmo é ter paciência. Muita paciência. As birras são uma forma do bebê expressar sua frustração já que o bebê não sabe lidar com elas ainda. Aliás, nem eu aprendi.

Mas o que fazer?

Aqui dizer o que NÃO fazer primeiramente. Não perder a calma e recordar que está perante um comportamento normal, embora desagradável. A tarefa mais difícil quando se enfrenta uma criança muito aborrecida é controlar a própria raiva. Então respire fundo, não eleve a voz, não ceda aos nervos, seja claro e dê o bom exemplo.

NUNCA ceda as birras de uma criança. Nem porque se sente culpada ou porque está com vergonha ( caso ocorra em um lugar público). Ao ceder você transmite a mensagem que essa atitude é normal e perfeitamente aceitável para a criança conseguir aquilo que deseja e , pior, criará um círculo vicioso que se tornará mais difícil de controlar e ultrapassar.

Não ceder mostra várias coisas: Que existe tempo para tudo, ou seja, não pode ter tudo que quer na hora que quer. Existem limites que têm que ser respeitados sempre.

birraÉ importante dar exemplo de autocontrole embora possa parecer difícil perante uma criança com birras freqüentes. E muitos casos vale a pena abraçar, pegar no colo com o intuito de acalmar sem ceder ao seu pedido. Focar no estado emocional e não na exigência, falando em outras coisas com uma voz suave, conversando muito ( O que está errado, porque não pode aconteceras consequências de um bom comportamento). Felizmente a fase das birras é justamente isso: uma fase. E como sabemos todas as fases são passageiras.

Confesso que quando acontecia (A Bianca melhorou e muito devido as dicas que acabei de dar acima) tudo o que eu pensava eram em férias. Fechava os meus olhos e ficava em devaneios de viagens para lugares distantes e, principalmente, silenciosos.

Siga nosso Instagram e aproveite cada detalhe!

Join to Instagram