De olho no relógio

Como ter uma boa alimentação na correria do dia a dia? Devo comer de 3 em 3 horas? Mas o que eu irei comer? Estes são questionamentos muito freqüentes.

As pessoas pensam que ficar muito tempo sem comer e diminuir a quantidade de caloria é a mesma coisa. dieta por redução de calorias é diferente da dieta por jejum. Reduzir caloria da dieta é diferente de dieta de jejum.

Mantendo o metabolismo acelerado:

Ao contrario do que muitas pessoas pensam, ficar muito tempo sem se alimentar diminui o gasto calórico. Quando ficamos longos períodos (mais de 4 horas) sem nos alimentar, nosso organismo entra em estado de catabolismo (perda), ou seja, ele passa a utilizar as reservas de glicogênio para fornecer energia ao corpo. O organismo entende esse momento como uma restrição alimentar e começa a poupar energia, desacelerando nossa taxa metabólica basal. Por conseqüência o gasto calórico diminui, e a perda de peso se torna mais difícil.

Comendo mais vezes durante o dia fará com que seu organismo trabalhe mais durante o dia, aumentando seu metabolismo e facilitando o processo de emagrecimento, evitando a obesidade.

Jejum = Perda de massa muscular:fome.dieta2_-300x286

         O organismo em jejum apresenta-se com baixa quantidade de glicose. Não tendo glicose para o gasto energético necessário, ele irá resgatar energia a partir do glicogênio hepático e muscular, queimando massa muscular.

Ou seja, indivíduos que fazem jejum com o objetivo de emagrecimento, estão equivocados. Antes de perder gordura estes perderão massa muscular.

Jejum = Aumento do percentual de gordura:

O jejum pode trazer ainda aumento do percentual da gordura corporal, pois como o organismo ficou algum tempo sem comida, ao voltar a comer, armazenará as calorias consumida, se protegendo desta falta de combustível, e uma das maneiras do corpo armazenar este combustível é produzir gordura para casos de alerta.

Se nos alimentarmos de 3 em 3 horas, ou até mesmo de 2 em 2 horas, o organismo vai perceber que não ficará tanto tempo sem receber comida e, por isso, não precisará economizar e estocar calorias como defesa.

Diminui a capacidade gástrica reduzida:

O estômago tem a capacidade de aumentar e diminuir seu volume. Quando por muitas vezes estimulado a concentrar grandes volumes, o estômago passa a ter uma capacidade gástrica maior, e quanto maior a capacidade gástrica, mais lenta passa a ser a plenitude desse indivíduo. Obesos apresentam grande capacidade gástrica, e por isso precisam comer cada vez mais para se sentirem satisfeitos.

Mesmo já apresentando grande capacidade gástrica, o estômago é capaz de diminuir seu volume. Por isso se alimentar varias vezes durante o dia, com baixos volumes, é importante, dessa forma o indivíduo que antes comia muito começa a ter plenitude mais precoce devido a sua capacidade gástrica reduzida.

Jejum = Gastrite e Úlcera gástrica

O estomago tem um pH ácido devido a presença do ácido clorídrico, quando permanecer por muito tempo vazio o pH ácido começa a corroer a mucosa gástrica, podendo levar a doenças como gastrite e ulcera gástrica.

Jejum pode levar à diabetes:

Nos períodos de jejum a insulina apresenta-se em baixa concentração. Ao se alimentar a insulina passa a ser estimulada em grande quantidade, de acordo com a ingestão do indivíduo, podendo aumentar muito sua concentração com uma grande ingestão de carboidratos, o que se torna muito comum em indivíduos que estão com fome.

Essa situação leva a uma alteração da curva glicêmica, fazendo com que haja picos muito elevados, e picos muito baixos de glicemia o que podem levar ao descontrole glicêmico, fazendo com que haja um comprometimento da sensibilidade ao hormônio insulina.

Jejum pode levar ao envelhecimento e ao câncer:

A ausência do carboidrato desencadeia a produção de cetose, substância altamente tóxica ao organismo. Quanto maior a quantidade de corpos cetonicos, maior será a formação de radicais livres, sendo estes os principais causadores de envelhecimento e de doenças oxidativas, como o câncer.

Sintomas do jejum:

Perda de memória, falta de concentração, sonolência, dores de cabeça, tremores, formigamento, irritabilidade, riscos de desmaios, hálito alterado (hálito ruim que não acaba nem com a escovação dos dentes, pois o cheiro vem do estômago).

         Agora, que já entendemos a importância da alimentação freqüente, de 3 em 3 horas podemos dar algumas dicas sobre como mudar os hábitos alimentares na correria do dia a dia.

Dicas:

– Coloque um despertador (relógio de pulso ou do celular) para despertar de 3 em 3 horas, no início pode ser difícil lembrar de comer;

– Carregue sempre com você algumas porções de alimentos possíveis para comer na correria:

– Frutas prontas para comer, caso não seja possível descascar, picar, e colocar em um          pote para transportar, antes de sair de casa.

– Iogurtes pequeno – 200ml

– Barras de cereais

– Sanduíche

 

* Caso não seja possível carregar alimentos, procure alguma lanchonete de sucos perto de onde você trabalha, e ali saiba selecionar os melhores tipos de alimentos para não ficar em jejum.

Dra. Nádia Sophia – nutricionista

Consultórios:

Copacabana – Rua Siqueira campos, 93 sala 205

tel: 2255-5694 ou 8624-5822

Siga nosso Instagram e aproveite cada detalhe!

Join to Instagram