Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2018

42389511_330710370839746_7489594379133255680_n

 

Dia 18, foi dia de prestigiar a sétima arte nacional, no Grande Prêmio Brasileiro de Cinema. A cerimônia aconteceu no Rio de Janeiro, na encantadora cidade das Artes e a
Academia Brasileira de Cinema, premiou 29 categorias. Bingo — O Rei das Manhãs, de
Daniel Rezende, ganhou oito troféus Grande Otelo, nas categorias Melhor Longa-
metragem de Ficção, Montagem de Ficção, Figurino, Maquiagem, Direção de Arte, Voto
Popular — Melhor Longa-Metragem de Ficção, Ator Coadjuvante e Melhor Ator.
O segundo filme mais premiado foi A Glória e a Graça, de Flávio Ramos Tambellini, com
três troféus: Roteiro, Direção de Fotografia e Melhor Atriz Coadjuvante. Uma grande
vitória a um filme que conta a história de uma travesti, vivida brilhantemente por
Carolina Ferraz.
O presidente da Academia, Jorge Peregrino, fez um grande discurso, inclusive
prometeu se empenhar para que a premiação seja feita no primeiro semestre ainda e
deixou claro, que mais uma vez por motivos de verba, o prêmio foi ameaçado. Peregrino
também comentou que o filme brasileiro indicado ao Oscar, O Grande Circo Místico, foi
total apoiado pela academia. Novas categorias foram anunciadas para o próximo ano,
Série de TV e OTT.
Homenageando o cinema brasileiros os apresentadores Charles Fricks e Laila Garin
encenaram no palco um casal, onde Nelson interpretado por Charles Fricks, recebeu esse
nome inspirado em Nelson Pereira dos Santos um dos maiores diretores brasileiros, que
infelizmente nos deixou esse ano. Além de Nelson Pereira dos Santos, Roberto Faria e
outros grandes nomes do cinema que nos deixaram esse ano, foram lembrados. Laila
Garin esbanjou talento em todos os números musicais.
Humildade. Essa é a melhor palavra para descrever a grande homenageada da noite
Fernanda Montenegro. Precedido de imagens do clássico brasileiro Central do Brasil, de
Walter Salles, Vinícius de Oliveira hoje um homem, discursou lindamente para esse ícone
do cinema e televisão brasileira. Os importantíssimos diretores Luiz Carlos Barreto, Cacá
Diegues e Zelito Viana, subiram ao palco e entregaram o troféu Grande Otelo. Fernanda
agradeceu a todos os diretores com quem já trabalhou e ainda atribui o fato do filme
‘Central do Brasil’, existir a Vinícius de Oliveira. Pedindo licença, ela contou a história,
como aquele menino engraxate, pediu a Walter Salles, sem nem saber quem era, que
pagasse um café e acabou ganhando um papel no filme. Com todos já embarcados,
diante de tanta grandiosidade, Fernanda ainda se ajoelhou diante do trio demonstrando
ainda mais toda a sua humildade e gratidão.
Cenas de O Último Cine Drive-in, de Iberê Carvalho, finalizaram a história representada
pela dupla de apresentadores e antecederam o final do prêmio, recordando mais uma
ícone do cinema nacional, que teve várias cenas apresentadas, ilustrando a história no
palco interpretada.
Durante toda a noite o discurso político “Ele Não”, estava na boca praticamente todos os
vencedores, quase um mantra obrigatório Inclusive Vladimir Brichta disse “Bingo sim,
Bozo sim, mas Bolsonaro Não!”. Laís Bodanzky, premiada como melhor diretora por
“Como os Nossos Pais”, lembrou também do movimento ‘Mariele Presente’. Caio Gullane
fez um apelo aos políticos já eleitos e aos que irão se eleger para que prestem atenção
na cultura do nosso país e trabalhem por ele, afinal nas palavras do mesmo, que foram as palavras finais do prêmio, “Não queremos ver nada mais da nossa cultura pegando
fogo”.

VENCEDORES GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2018

  • MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO
    VÊNUS-FILÓ A FADINHA LÉSBICA, de Sávio Leite
    MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
    OCUPAÇÃO DO HOTEL CAMBRIDGE, de Andrea Mendonça
    MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO
    A PASSAGEM DO COMETA, de Juliana Rojas
    MELHOR MONTAGEM DE DOCUMENTÁRIO
    NATARA NEY, por Divinas Divas
    MELHOR MONTAGEM DE FICÇÃO
    MÁRCIO HASHIMOTO, por Bingo – O Rei das Manhãs
    MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
    GUSTAVO HADBA, por A Glória e a Graça
    MELHOR EFEITO VISUAL
    RICARDO BARDAL, por Malasartes e o Duelo com a Morte
    MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
    MIKAEL DE ALBUQUERQUE E LUSA SILVESTRE, por A Glória e a Graça
    MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
    MIKAEL DE ALBUQUERQUE – adaptado do livro “3000 Dias no Bunker – um plano na
    cabeça e um país na mão”, de Guilherme Fiuza – por Real – O Plano Por trás da História
    MELHOR FIGURINO
    MÁRCIO HASHIMOTO, por Bingo – O Rei das Manhãs
    MELHOR MAQUIAGEM
    MÁRCIO HASHIMOTO, por Bingo – O Rei das Manhãs
    MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
    MÁRCIO HASHIMOTO, por Bingo – O Rei das Manhãs
    MELHOR TRILHA SONORA
    CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por João, o Maestro
    MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
    CLAUDIO AMARAL PEIXOTO, por O Filme da Minha Vida
  • MELHOR SOM
    CLAUDIO AMARAL PEIXOTO, por João, o Maestro
    MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO
    UMA MULHER FANTÁSTICA/ Una Mujer Fantástica(Chile) – dirigido por Sebastian
    Lelio.Distribuição: Imovision
    MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL
    FLÁVIA LINS E SILVA, LG BAYÃO E MIRNA NOGUEIRA – adaptado da série "DPA –
    Detetives do Prédio Azul", de Flávia Lins e Silva – por Detetives do Prédio Azul
    MELHOR LONGA-METRAGEM ANIMAÇÃO
    HISTORIETAS ASSOMBRADAS – O FILME de Victor-Hugo Borges. Produção: Mayra Lucas
    e Paulo Boccato por Glaz Entretenimento
    MELHOR SOM
    GEORGE SALDANHA, FRANÇOIS WOLF E ARMANDO TORRES JR; ABC, por João, o
    Maestro
    MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
    DIVINAS DIVAS de Leandra Leal. Produção: Carol Benjamin, Leandra Leal e Rita Toledo
    por Daza Filmes e Natara Ney
    MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA
    DIVÓRCIO de Pedro Amorim. Produção: LG Tubaldini Jr por Filmland Internacional
    MELHOR ATOR COADJUVANTE
    AUGUSTO MADEIRA como VASCONCELOS, por Bingo – O Rei das Manhãs
    MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
    SANDRA CORVELLONI como GRAÇA, por A Glória e a Graça
    VOTO POPULAR PARA MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO
    LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES
    VOTO POPULAR PARA MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
    CORA CORALINA – TODAS AS VIDAS
    VOTO POPULAR PARA MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO
    BINGO – O REI DAS MANHÃS
    MELHOR DIREÇÃO
    LAÍS BODANZKY, por Como Nossos Pais
    MELHOR ATOR
    VLADIMIR BRICHTA como AUGUSTO MENDES, por Bingo – O Rei das Manhãs
    MELHOR ATRIZ
    MARIA RIBEIRO como ROSA, por Como Nossos Pais
  • MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO
    BINGO – O REI DAS MANHÃS, de Daniel Rezende

 

Colaboração Mariane Barcelos 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga nosso Instagram e aproveite cada detalhe!

Join to Instagram