Livro “Cadê o pai dessa criança?”

 

Criancas de Pijama_Hugo Peres FotografiaDepois que conheci um livro da autora por acaso como cito AQUI. Fiquei interessadíssima se ela tinha escrito mais alguma coisa. E para minha surpresa e felicidade, haviam diversos títulos. Um deles me chamou a atenção logo de cara: ” Cadê o pai dessa criança?” .

 

 

Já que a “culpa” é da mãe cadê o pai dessa criança? Quando presenciamos uma crise de birra, ou mau comportamento sempre se pensa: “Cadê a mãe dessa criança?”. Nesse livro a autora Elizabeth Monteiro ousa a dizer “Cadê o Pai dessa criança?”.

De maneira bem humorada e com característica única de escrever que nos faz penetrar na história ela cita diversos estereótipos paternos. E mesmo se você for o pai melhor do mundo, impossível não de identificar com muito do que ela descreve com tanta perfeição. De qualquer forma, o pai ideal está longe de ser perfeito. “Tudo que é perfeito ou imperfeito demais é patológico”, alerta a autora.

Na avaliação da psicóloga, o homem não nasce pai. Ele se transforma em pai – o que difere da mulher, que biologicamente já vem com preparo para exercer a maternidade e se especializa desde criança, com as brincadeiras com bonecas. “A mulher, ao engravidar, começa a desenvolver uma ligação afetiva e maternal com o filho”, afirma. Segundo ela, o homem tem de aprender a desenvolver o amor paterno. E o filho só precisa de um pai coerente, que tenha bom-senso, boa dose de bom humor e postura amiga.

O livro é interessantíssimo em muitos aspectos, fora que uma leitura prazerosa, leve e descontraída e que me fez dar umas boas gargalhadas. O livro traz um breve esclarecimento da origem e da manutenção de alguns comportamentos e atitudes através dos tempos ( Geralmente passado de pai para filho)  – desde a criação do mundo até os dias de hoje. Ela analisa os novos modelos de família até as diversas configurações das famílias atuais e os novos vínculos de parentesco.

Crianças criadas com participação de pais, aqui ouso a dizer de mãe também. Se transformam em adultos mais seguros e amorosos.

Houve certamente um avanço, porém muito longe do ideal. Infelizmente, a maioria das famílias ainda convive com um pai perdido em seu papel com ela diz. Eles não interrompem o trabalho para dar um telefonema para casa e certificar-se de que os filhos estão bem; não vão à escola saber como está o desempenho; não se preocupam em dar bons exemplos; não têm a menor ideia do quanto a ausência prejudica o desenvolvimento dos filhos. Para muitos deles ainda é “papel da mãe”. Esquecem que a presença e participação ativa na criação dos filhos é de grande importância para o bem estar dos mesmos.

Os casos apresentados são experiências da autora em seus 40 anos como psicóloga. Nesse livro ela nos ajuda a resgatar o papel do pai e mostrar como é importante para formação das crianças.

Leitura super indicada. Elizabeth Monteiro, mais uma vez me fez devorar um livro numa facilidade absurda. Amei e indico.

Eu mesma, enquanto escrevo vejo minha filha aprontar todas e fica impossível não pensar ” Cadê o pai dela para me ajudar?” .

 

 

Título: Cadê o pai dessa criança?

Autora: Elizabeth Monteiro

Editora: Summus Editorial

Preço: R$ 38,40 (Ebook: R$ 26,90)

Páginas: 144 páginas – 14 x 21 cm

Foto: Hugo Peres 

Siga nosso Instagram e aproveite cada detalhe!

Join to Instagram